DIA DA INDÚSTRIA - 25 DE MAIO - HISTORIA - EVOLUÇÃO - MEIO AMBIENTE - NÚMEROS

Espaço de produção entre os setores da economia, a indústria representa o setor secundário - o primário corresponde à agricultura e o terciário, ao comércio e aos serviços.

Um termo usado tão amplamente em nossa sociedade, torna-se de difícil definição - fala-se da indústria agrícola, quando nos referimos ainda ao setor primário, e ainda outras acepções mais figuradas, que se referem a algo produzido em larga escala - afinal, esta é a contribuição da indústria na nossa história. Deste modo, fala-se da indústria do crime e da indústria da fome, quando o assunto são os produtos destas condições. E tem ainda a indústria cultural - já ouviu falar dela? Refere-se à reprodução em massa de produtos culturais, possibilitada pelos meios de comunicação. Mas isto é uma outra história, bem interessante por sinal. Vamos ficar, por enquanto, com as indústrias no sentido literal. São estas as comemoradas no Brasil hoje.


As indústrias podem ser de vários tipos. A denominação mais comum é a de indústria manufatora, que modifica os produtos naturais através de trabalho manufatureiro ou mecânico. As indústrias de base, por sua vez, são aquelas que servem de base a outras indústrias, fornecendo matéria-prima e máquinas. Já as indústrias de ponta são responsáveis pela montagem final de um conjunto de peças provenientes de outras indústrias. Alguns setores da produção industrial são voltados para a extração de produtos da terra ou do mar: são as indústrias extrativas. Aqueles voltados para a exploração das jazidas, minas, pedreiras, afloramentos fazem parte da indústria mineral. Quando se explora o campo e outros produtos da terra, fala-se então da indústria vegetal.

Confederação Nacional da Indústria - CNI

O Brasil deu um grande salto industrial na década de 30. Para representar o setor e contribuir para sua consolidação, foi criada a Confederação Nacional da Indústria (CNI), em 1938, congregando todas as 26 Unidades da Federação e o Distrito Federal.

De acordo com a CNI, atualmente há 1.016 sindicatos patronais filiados ao sistema. Além disto, a CNI é responsável por outros serviços ligados ao setor industrial, abaixo relacionados:

SESI

É o Serviço Social da Indústria. Como o nome já diz, procura promover melhoria na qualidade de vida de seus trabalhadores e da comunidade, através de serviços de educação, assistência médica, odontológica e alimentar, além de cultura e lazer.

SENAI

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) é o maior complexo de educação profissional da América Latina. Já formou mais de 34 mil trabalhadores desde 1942 e tem mais de dois milhões de alunos matriculados por ano, além de possuir 122 parcerias internacionais.

O Senai promove a geração e a difusão de conhecimentos ligados à indústria, forma recursos humanos e presta serviços ao setor. Além disto, fornece assistência ao processo produtivo, serviços de laboratório, pesquisa aplicada e informação tecnológica.

IEL

O Instituto Euvaldo Lodi é símbolo de parceria entre indústria e universidade, com objetivo de gerar desenvolvimento tecnológico e formar profissionais mais capacitados e preparados.

História da indústria brasileira

A história das indústrias brasileiras é bastante recente quando comparada à de outros países, principalmente os que viveram a Revolução Industrial no século XIX. Por isto, a maior parte das realizações industriais do nosso país se referem a instalação, manutenção, consolidação e integração do parque industrial.

Só recentemente, na década de 90, que o Brasil começou a adotar uma política de competitividade. A produção de petróleo, por exemplo, praticamente triplicou em 1994, impulsionada pela crise de petróleo da década de 70. Também na década de 90 a indústria automotiva foi modernizada e cresceu significativamente. Entre 1990 e 1997, o Brasil passou a ocupar oitavo lugar na classificação mundial de produção de automóveis - antes era o décimo colocado.

A indústria aeronáutica demorou para 'decolar' no Brasil. Somente há cerca de 20 anos é que a produção de aeronaves brasileira ganhou força, mas valeu a pena: hoje, a Embraer é a quarta maior empresa produtora de jatos regionais do mundo; a indústria aeronáutica brasileira é a sexta maior do mundo. O "Tucano", avião militar, é usado em mais de 14 Forças Aéreas no mundo, por exemplo.

Até mesmo no espaço há a marca da indústria brasileira. Em parceria com a Agência Espacial Brasileira (AEB) e com o Instituto Nacional de Pesquisa Espacial (INPE), foram desenvolvidos programas de construção de satélites, inclusive com a colaboração da Nasa. O CBERS, por exemplo, foi o primeiro satélite de sensoriamento remoto brasileiro, produzido junto com a China e lançado em outubro de 1999.

A indústria de informática, principalmente de hardware, não pára de crescer, gerando grandes receitas para o país e diminuindo a necessidade de importações. Os estados de São Paulo e do Amazonas são os principais representantes. O primeiro é responsável pela maior parte da tecnologia de informação de que dispomos no Brasil.

A evolução da indústria no Brasil

1945 - Com o fim da Segunda Guerra Mundial, o Brasil perdeu mercados externos e entrou em crise de produção. Foi também o ano do Fim do Estado Novo, quando Getúlio renunciou à Presidência da República. Momento de crise.

1946 - Mesmo em meio a turbulências, foram gerados esforços em torno de ações sociais. Com isto, criou-se o Sesi, através do decreto-Lei n. 9 403.

Refere-se também à segunda fase de industrialização no Brasil: fábricas se reequiparam, foi inaugurada a Companhia Siderúrgica Nacional, criaram-se as primeiras refinarias, o setor de eletrodomésticos e da indústria de transformação ganharam novo fôlego.

1951 - Foi criada a Comissão de Desenvolvimento Industrial.

1956 - Com a criação do Plano de Metas do governo de Juscelino Kubitschek, a indústria de base viveu grande expansão. Entre 1955 e 1961 a produção industrial como um todo cresceu 100%, conforme mostrado abaixo:

* a produção de aço duplicou

* a produção das indústrias mecânicas cresceu 125%

* a produção das indústrias elétricas e de comunicações cresceu 380%

* a produção das indústrias de equipamentos de transportes cresceu 600%

Época de expressiva produção automobilística:

* em 1961, o Brasil já tinha 700 fábricas de autopeças

* a produção automobilística produziu 90% de veículos a mais do que o previsto

Devido a muitos empréstimos, o Brasil acabou em meio a grandes dívidas externas.

* 1957 - Foi instituído o Dia da Indústria.

Década de 60 - Após uma redução nas atividades industriais por volta de 1960, o crescimento do setor já não era acompanhado pela infra-estrutura socioeconômica do país. A solução encontrada foi buscar a diversificação e a expansão da produção de bens manufaturados e de consumo durável, com indústrias mais sofisticadas. Um ramo que se desenvolveu bastante foi o das telecomunicações, além do processamento de dados e biotecnologia.

Ao longo desta expansão, quatro setores industriais foram decisivos para a economia brasileira: o automotivo, do aço, petroquímico e de serviços públicos. No ramo petroquímico, cresceu não só a produção como o desempenho das refinarias de petróleo.

A indústria e o meio ambiente

As indústrias são responsáveis por grande parte da poluição do planeta. Porém, muitas já estão tomando providências para racionalizar o uso de matérias-primas, água e energia e também reduzir o impacto ambiental causado pela emissão de gases e resíduos.

O programa do Núcleo de Produção Mais Limpa é um exemplo, uma parceria entre a Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), a Secretaria do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Estado do Rio de Janeiro, a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), o Sebrae/RJ e o Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável. O Núcleo promove informação (através de seminários, workshops, periódicos), treinamento e capacitação de profissionais e prestação de serviços para implementação de técnicas de produção mais limpa nos processos produtivos.

Não só o meio ambiente sai ganhando. A técnica de produção implementada pelo núcleo, reduz o consumo de energia em 25% e o de água em 30%, o que reduz também os custos.

Este é apenas um exemplo do que pode ser feito em uma indústria para colaborar com o meio ambiente. Você também pode tentar descobrir, nas indústrias perto de você, o que está sendo feito em outras cidades e estados.

Os números da indústria no Brasil

Conforme os gráficos abaixo, pode-se acompanhar os números da produção industrial brasileira. Vejamos como é variado nosso parque industrial:

Visualizar em tamanho maior, clique na imagem


Para saber mais sobre a indústria, veja nos links abaixo:

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior
Confederação Nacional da Indústria (CNI)
SESI
SENAI
FIRJAN
INSTITUTO EUVALDO LODI (IEL) 


Para receber atualizações das matérias:
Digite seu e-mail:


FeedBurner
Você receberá um e-mail de confirmação, é só seguir o link e confirmar.


.

Nenhum comentário :

Topo