ANIVERSÁRIO DO IBGE - 29 DE MAIO - DIA DO ESTATÍSTICO

.

Estatística é uma palavra de origem grega – statízo – que significa ‘estabelecer´, ‘verificar´. "Presentemente, usamos a palavra com os seus dois sentidos originais. No sentido de ‘estabelecer´, a Estatística cuida do levantamento de dados, sua posterior organização e sistematização. No sentido de ‘verificar´, a Estatística testa hipóteses, faz projeções, estima quantidades que não podem ser mensuradas diretamente, seja na natureza seja no mundo social do qual fazemos parte.

História da estatística

Indícios apontam que 3000 anos a.C. já eram feitos censos na Babilônia, China e Egito. Usualmente, estas informações eram utilizadas para a taxação de impostos ou para o alistamento militar. O Imperador César Augusto, por exemplo, ordenou que se fizesse o censo de todo o Império Romano.

Após a Idade Média, os governantes na Europa Ocidental, preocupados com o avanço de doenças endêmicas que poderiam devastar populações e também acreditando que o tamanho da população poderia afetar o poderio militar e político de uma nação, começaram a obter e armazenar informações sobre os batizados, casamentos e funerais. Entre os séculos XVI e XVIII, quando as aspirações mercantilistas levaram as nações a buscarem o poder econômico como forma de poder político, informações estatísticas referentes a variáveis econômicas tais como: comércio exterior, produção de bens e de alimentos, começaram a serem coletadas pelos governantes. Também foi nessa época que a Estatística passou a ser considerada disciplina autônoma, tendo como objetivo básico a descrição dos bens do Estado.

Entre os séculos XVI e XVIII, quando as aspirações mercantilistas levaram as nações a buscarem o poder econômico como forma de poder político, informações estatísticas referentes a variáveis econômicas, tais como comércio exterior e produção de bens e de alimentos, começaram a ser coletadas pelos governantes. Também foi nessa época que a Estatística passou a ser considerada disciplina autônoma, tendo como objetivo básico a descrição dos bens do Estado.

A Estatística desenvolveu-se ao longo do tempo e, a partir de 1920, foi estabelecida a estrutura da moderna Estatística Analítica. No Brasil, o ensino da estatística como área autônoma do conhecimento estabeleceu sua trajetória a partir dos cursos pioneiros ministrados nos Institutos de Educação do Rio de Janeiro e de São Paulo, no início dos anos 30.

O que modernamente se conhece como Ciências Estatísticas, ou simplesmente Estatística, é um conjunto de técnicas e métodos de pesquisa que, entre outros tópicos, envolve o planejamento do experimento a ser realizado, a coleta qualificada dos dados, a inferência, o processamento, análise e disseminação das informações. Para simplificar, a Estatística tem o objetivo de fornecer métodos e técnicas para lidarmos, racionalmente, com situações sujeitas a incertezas.

Palavras de estatísticos

"Quando você observar o interesse de seu pai sobre a situação de determinado candidato ao cargo de prefeito de sua cidade, citando a variação das intenções de voto dos eleitores nas últimas pesquisas realizadas, você poderá estar vivenciando a ‘utilidade do trabalho de estatística´. Quando você realiza algum trabalho solicitado por sua professora, para saber quantas pessoas existem em determinado estado do Brasil e qual a distribuição por sexo e idade, você estará se beneficiando da aplicação da estatística. As Ciências Estatísticas, ou simplesmente Estatística, são bastante abrangentes e podem ser aplicadas a diversas áreas de atividade. A Estatística pode ser aplicada na demografia, na indústria, na área de recursos humanos, na saúde, nas pesquisas de mercado e de opinião etc. A Estatística tem por objetivo fornecer métodos e técnicas para que se possa, racionalmente, lidar com situações de incerteza". Francisco de Paula Buscácio - Presidente Conselho Federal de Estatística.

"Dentre as carreiras científicas/tecnológicas, a Estatística ocupa uma posição muito peculiar. Envolve métodos matemáticos, exige habilidades computacionais e interesse em análise de dados. A formação de um estatístico deve, além de uma sólida base matemática, incluir muita experiência prática adquirida analisando dados de experimentos reais. No mundo moderno os trabalhos são, freqüentemente, desenvolvidos em equipes multidisciplinares, as quais devem sempre incluir estatísticos". Hélio Migon - presidente da Associação Brasileira de Estatística - ABE.

"A Estatística é parte integrante de todo o mundo a nossa volta e freqüentemente utilizamos nas nossas falas corriqueiras conceitos estatísticos. Por exemplo, quando um Flamenguista diz que o seu time tem uma chance 10 a 1 de ganhar do Vasco, poderíamos traduzir isto para ‘o Flamengo tem uma probabilidade de ganhar de 91% (10/11), ou seja que em 11 jogos, o Flamengo ganharia 10 jogos´ (claro que a opinião de um vascaíno pode ser diferente). Quando alguém diz que a ‘vida está cara´, implícita está a comparação de um conjunto de produtos (com seus preços e quantidades) em dois momentos do tempo. Em grandes shows, os organizadores usualmente têm que fazer uma estimativa do público que estará presente: "qual é a maior galera? Rock? Funk? Pagode? Samba?" As formas mais comuns dessas estimativas incluem análise de experiências passadas (outros shows), resposta à mídia (efeito de propaganda) etc. Palavras que ‘traem´ o seu passado estatístico nas nossas falas são: provável, possível, chance, freqüente, raro, avaliar, avaliação, ‘chute´, entre outras." Kaizô Iwakami Beltrão - Superintendente da Escola Nacional de Ciências Estatísticas - ENCE.

"O Estatístico é um profissional que atua em qualquer área da ciência e da tecnologia, sendo capaz de abordar com muito bom senso os problemas usuais tais como: coleta, organização e síntese dos dados, ajuste de modelos, entre outras, e tendo a capacidade de buscar informação para a solução de problemas novos. Em todas as suas atividades estão presentes a curiosidade pelo conhecimento novo e uma postura ética diante dos fatos, sempre baseados em conhecimentos sólidos e atualizados. E é por isso que esta profissão é muito fascinante e cada vez mais importante em nossos dias. A globalização está aí e quem possui informação está pelo menos uma passo à frente de todos! Saudações e parabéns aos colegas Estatísticos." Mário Luiz F. da Silva - professor do Departamento de Estatística da Universidade Federal do Paraná.

"Constitui um motivo de alegria muito grande para nós, dirigentes do Sindest, a oportunidade de levar aos adolescentes um pouco de informação a respeito da carreira de Estatístico. Com a observação sistemática da realidade e a utilização dos instrumentos criados, surgiu o conhecimento científico, que permitiu ao ser humano entender, explicar e explorar melhor, e mais rapidamente, o mundo em que vive. Nestas últimas décadas, houve necessidade de aprofundar estudos, realizar experimentos e pesquisas mais específicos. O conjunto de técnicas e métodos de pesquisa, experimentação e inferência mais utilizados para alcançar esses objetivos é o que modernamente se conhece como Ciências Estatísticas. A formação acadêmica permite ao Estatístico utilizar modernas técnicas para efetuar levantamento e análises de informações, realizar pesquisas e experimentos nas várias áreas do saber científico, formular e resolver os mais variados e complexos problemas para tornar mais eficiente o gerenciamento, a tomada de decisões e a administração de negócios e de empresas. Administradores e gerentes não podem prescindir dos resultados e das conclusões obtidas a partir do emprego de métodos estatísticos. Assim, evidencia-se a importância da Estatística e do Estatístico. Aos adolescentes fica a sugestão de uma bela carreira a seguir." Bruno Carlos dos Santos Mesquita - presidente do Sindicato dos Estatísticos do Rio de Janeiro - SINDEST.

O mercado de trabalho

As atribuições e as responsabilidades do Estatístico são regidas pela Lei no 4.739, de 15 de Julho de 1965, que criou a profissão, e pelo Decreto no 62.497, que regulamentou o seu exercício profissional. O Conselho Federal e os Conselhos Regionais de Estatística constituem as autarquias que têm por finalidade orientar, disciplinar e fiscalizar o exercício da profissão de Estatístico em todo Território Nacional.

O ensino universitário do estatístico fundamenta-se em conhecimentos de Matemática Superior, Cálculo e Teoria das Probabilidades, Técnicas e Métodos Estatísticos, Computação, Métodos de Análise Estatística e Disciplinas Profissionalizantes. Quem optar por essa profissão, terá de ser capaz de utilizar técnicas para fazer levantamentos e análises de informações, planejar e realizar experimentos e pesquisas em vários setores, além de formular e promover a solução dos problemas mais complicados relativos à otimização de processos.

Para tanto, é necessário possuir uma sólida base matemática e habilidades no uso de computadores, boa comunicação oral e escrita, e ser uma pessoa aberta a aprender novos métodos de trabalho. Acima de tudo, saber trabalhar em equipe com profissionais de diferentes áreas do conhecimento.

O mercado de trabalho do estatístico é bastante amplo. Essa diversidade é crescente e é um dos grandes atrativos da profissão.


Áreas de atuação do estatístico

Indústrias: na melhoria da qualidade de um produto, em pesquisas para avaliar o comportamento do mercado, entre outros.

Recursos Humanos: pesquisar a relação entre os conhecimentos/habilidades e o trabalho dos funcionários e estudar curvas salariais são algumas das atividades que pode desenvolver nessa área.

Demografia e Saúde: estudar a evolução e as características da população, analisar os fluxos migratórios, estabelecer tábuas de mortalidade etc.

Universidades e Instituições de Pesquisa Científica: atuar como professor de disciplinas relacionadas à Estatística; pesquisar e desenvolver metodologias de análise estatística ou assessorando pesquisadores de outras áreas, entre outros.

Empresas de Pesquisas de Mercado e de Opinião: planejamento da pesquisa, gerenciamento do processo de coleta dos dados, tabulação e análise dos dados.

Setor Financeiro: montagem de banco de dados, geração de indicadores econômicos, elaboração de boletins estatísticos, realização de análises estatísticas, análise de risco de investimentos.

Em nosso cotidiano, a aplicação da estatística é notada quando sabemos os índices de inflação ou de emprego e desemprego, divulgados pela mídia. Os métodos da estatística também estão sendo usados para aprimorar produtos agrícolas, desenvolver equipamentos espaciais, controlar o tráfego, prever surtos epidêmicos e no aperfeiçoamento dos processos de gerenciamento, tanto no setor público quanto no privado, de uma forma geral.

Os conceitos estatísticos podem ser aplicados, por exemplo, em outras ciências, como na medicina que, através de metodologia específica, pode conferir a eficácia de um novo tratamento para determinada doença. No caso da AIDS, o estudo de sua evolução e incidência contou com ferramentas da estatística.

A verdade é que as organizações modernas ficam cada vez mais dependentes de dados e informações fornecidos pelos estatísticos, a fim de definir melhor suas metas, avaliar sua performance, identificar pontos fracos e atuar na melhoria contínua de seus processos.

Aniversário do IBGE

29 de maio é também o dia do aniversário do IBGE. Em 1936 o Instituto iniciou suas atividades sob o nome de Instituto Nacional de Estatística.

O IBGE é o órgão da administração federal, atualmente subordinado ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, que tem por missão a produção, a análise, a pesquisa e a disseminação de informações de natureza estatística (demográfica, social e econômica), geográfica, cartográfica, geodésica e ambiental, com vistas ao conhecimento da realidade física, humana, social e econômica do País.

As informações produzidas pelo IBGE são destinadas a estudantes, professores, pesquisadores, administradores que atuam em âmbito público e privado, imprensa e a toda e qualquer pessoa que tenha interesse em conhecer a realidade brasileira.

O acesso a essas informações pode ser obtido através de diversas fontes: livros, periódicos, cartas e mapas, em meio impresso, em disquete, CD-ROM, além de outros produtos eletrônicos, e também pela Internet.


O IBGE atende ao público através do seu Centro de Documentação e Disseminação de Informações, por meio de livraria, serviços online e uma das maiores bibliotecas especializadas do país. Este centro gerencia o serviço de atendimento ao usuário, coordena as quatro bibliotecas setoriais ao IBGE e realiza a editoração, impressão, divulgação e comercialização dos produtos gráficos e digitais. O centro, localizado no Rio de Janeiro, atua em nível nacional através das Unidades Estaduais nas capitais, e das 544 Agências localizadas nos principais municípios brasileiros.

Tudo isso faz do IBGE, o principal provedor de dados e informações do país, que atendem às necessidades dos mais diversos segmentos da sociedade e dos órgãos governamentais, retratando com fidelidade o Brasil.

Para saber mais, acesse os links abaixo:


  • Associação Brasileira de Estatística

  • Conselho Federal de Estatística

  • Escola Nacional de Ciências Estatísticas



  • Fonte: IBGE



    .

    Nenhum comentário :

    Topo