25/09/11

ANIVERSÁRIO DE MACEIÓ - 05 DE DEZEMBRO - Dados geográficos - Localização - Clima - Relevo - Vegetação - Hidrografia - Política - Economia - Turismo

.
O nome Maceió veio do tupi Maçayó ou Maçaió-k que significava "O que tapa o alagadiço". Por centenas de anos formaram-se terrenos alagados, devido ao acúmulo de sedimentos oriundos dos rios Mundaú e Paraíba do Meio. O mar também contribuiu com sedimentos, fechando as fozes dos respectivos rios, formando assim o que hoje conhecemos por Lagoas Mundaú e Manguaba, um dos maiores complexos estuarinos do Brasil.

Foi sobre esses alagadiços e restingas que a cidade de Maceió cresceu. Dois bairros da capital abrigam pouco menos da metade da população, são eles: Benedito Bentes e Jacintinho, ambos com 200 mil habitantes cada. O Jacintinho é um bairro próximo ao centro da cidade, cercado por grotas e, apesar de ser vizinho da área mais valorizada da cidade, possui habitantes com baixa renda em sua maior parte. Já o Benedito Bentes é um conjunto habitacional criado há mais de vinte anos que, atualmente, abriga muitos outros conjuntos ao seu redor, que juntos às favelas e grotas formam o bairro. Já tramitou na Câmara Municipal de Maceió uma proposta para o desmembramento do Benedito Bentes de Maceió, transformando-o em uma nova cidade, porém, sem sucesso. Maceió possui sete Regiões Administrativas.

Situa-se na faixa costeira do Nordeste oriental, inserida nos domínios da Mata Atlântica. Estende-se por uma área de aproximadamente 500 km², dos quais 212 km² compõem sua área urbana. Sua altimetria varia entre 0 metro ao nível do mar e 20 metros na planície litorânea, passando entre 20 e 180 metros nas encostas e nos topos dos tabuleiros e 300 metros no topo da serra da Saudinha, extremo norte do município.

Aniversário de Maceió

A capital do Estado de Alagoas está fazendo aniversário! Considerada uma das mais badaladas cidades turísticas do Brasil, Maceió foi fundada em 5 de dezembro de 1815 e faz parte da rota de turistas brasileiros e estrangeiros quando visitam o Nordeste.

A Capital de Alagoas - Dados

A cidade de Maceió localiza-se entre a Lagoa Mundaú e o Oceano Atlântico. Ocupa o terraço, feito pelo mar, na extremidade do tabuleiro que limita, ao Norte, a calha do antigo estuário do Rio Mundaú, e continua sobre uma língua de terra, que se junta a esse terraço e se afina para o Sudoeste, terminando no Pontal da Barra. Essa língua de terra, ou restinga, fechou o estuário, formando uma lagoa, e desviou a foz do rio para o Pontal. A cidade desenvolveu-se sobre essa formação alongada, merecendo, por parte de muitos estudiosos a denominação de “Cidade-Restinga”.


Localizada no Nordeste do país, tem uma população de 936.608 habitantes (2010) e um território de, aproximadamente, 503 km². Integra, com outros dez municípios, a Região Metropolitana de Maceió, totalizando cerca de 1.160.393 milhão de habitantes (IBGE/2007). Sua altitude média é de sete metros acima do nível do mar, e tem uma temperatura média de 30 °C.

O município situa-se entre o oceano Atlântico e a lagoa Mundaú, que tem grande importância econômica para os povoados de pescadores que vivem em sua margem. É sede da Universidade Federal de Alagoas. Possui temperaturas médias de 25º até 29°C durante o ano inteiro, no inverno temperaturas caem para até 18°C.

Período Colonial

No início da colonização, no século XVII, navios portugueses atracavam onde hoje é o porto e bairro do Jaraguá, local em que eram carregadas as madeiras das florestas litorâneas. Este Porto também serviu, mais tarde, para o embarque do açúcar produzido pelos engenhos localizados nas proximidades da cidade.

Antes de sua fundação, morava onde hoje é o bairro da Pajuçara Manoel Antônio Duro que recebeu em 1609 uma sesmaria de Diogo Soares, alcaide-mor de Santa Maria Madalena. Mais tarde em 1673 as terras foram mudadas de dono, o rei de Portugal determinou ao Visconde de Barbacena a construção de um forte no bairro do Jaraguá.

O pequeno povoado havia uma pequena capela em homenagem a Nossa Senhora dos Prazeres. A vila de Maceió foi desmembrada em 5 de dezembro de 1815, da Vila de Santa Maria Madalena da Alagoa do Sul, ou simplesmente Vila de Alagoas, atual cidade de Marechal Deodoro.

Em 9 de dezembro de 1839 deu-se a elevação à condição de cidade, principalmente por causa do desenvolvimento advindo da operação do porto de Jaraguá, um porto natural que facilitava o atracamento de embarcações, por onde eram exportados açúcar, tabaco, coco e especiarias. Em 16 de dezembro de 1839, é inaugurado o município de Maceió, tendo seu primeiro intendente, Augustinho da Silva Neves.

Período Imperial - Dom Pedro II

Maceió foi visitada em 1859 pelo Imperador Dom Pedro II, que participou de festas na capital antes de seguir viagem para outras cidades.

Maceió em 1950

Na praia de Ponta Verde existiu um dos pontos turísticos mais visitados,o Gogó da Ema, um coqueiro que nasceu torto à beira-mar e tinha a forma do pescoço de uma ema, derrubado pelo avanço do mar na década de 1960. Era o local dos encontros entre namorados nas décadas de 1950 e 1960.

De lá se observa, quando da lua cheia, um espetáculo visual dos mais encantadores. Hoje no local existe um clube, o Alagoas Iate Clube, ponto de divisão entre as praias da Ponta Verde e dos Sete Coqueiros.

DADOS GEOGRÁFICOS

Localização

Localizada na parte central da faixa litorânea do estado de Alagoas, inserida na mesorregião do Leste Alagoano e microrregião que leva seu nome, o município de Maceió estende-se entre os paralelos 09°21’31” e 09°42’49” de latitude sul e os meridianos 35°33’56” e 35°38’36” de longitude oeste, ocupando uma área de aproximadamente 511 km², o que corresponde a 1,76% do território alagoano.

Capital do estado de Alagoas, Maceió limita-se, ao norte com os municípios de Paripueira, Barra de Santo Antônio, São Luís do Quitunde, Flexeiras e Messias; ao sul, com o município de Marechal Deodoro e Oceano Atlântico; a oeste faz fronteira com Rio Largo, Satuba, Santa Luzia do Norte e Coqueiro Seco; a leste, com o Oceano Atlântico.

O Clima

Considerando a localização na Região Nordeste do Brasil, em plena zona tropical e banhada pelo Oceano Atlântico, apresenta clima quente e úmido, que segundo a classificação climática de Köppen corresponde ao tipo As', caracterizando por apresentar-se sem grandes diferenciações térmicas e precipitação concentrada no outono e inverno.

As temperaturas médias mensais oscilam em torno de 25,1 °C. A máxima mensal atinge 29,9 °C e a mínima 20,8 °C, apresentando uma amplitude térmica anual de 9 °C. A umidade relativa do ar é em média de 79,2%, sendo julho o mês mais úmido e novembro o mais seco. O índice pluviométrico é sempre superior a 1.410mm/ano.

Maceió tem,grandes reservas de água potável, possui clima tropical, a menor temperatura registrada na capital foi 11,3 °C, no dia 16 de junho de 1980, tendo dias ensolarados durante 270 dias do ano.

O Relevo

O relevo do município de Maceió apresenta um predomínio de terras baixas com altitudes inferiores a 100 metros, ocorrendo, no entanto na porção norte-noroeste áreas que alcançam mais de 160 metros. A Serra da Saudinha alcança 300 metros.

Estruturalmente são encontradas três unidades: a Planície ou Baixada Litorânea, os Tabuleiros Costeiros e o Maciço Cristalino da Saudinha.

A Planície Litorânea compreende a área de menor expressão espacial e de menor altitude, 0 a 10 metros. De origem recente (quaternária), nela predominam as formas de acumulação marinha, fluvial, fluviomarinha, fluviolacustre e eólica, representadas por terraços, pontas arenosas, restingas, cordões litorâneos, ilhas fluviomarinhas, recifes e lagunas.

Os Tabuleiros Costeiros são uma superfície de agradação composta basicamente por terrenos plio-pleistocênicos, também conhecidos como baixo planalto sedimentar costeiro. Apresenta relevo tipicamente plano com suaves ondulações e altitudes em geral inferiores a 100 metros.


Na faixa costeira, o trabalho de abrasão marinha (antes do presente), estabelecia contato direto do oceano sobre as encostas do tabuleiro deram origem às falésias fósseis, separadas atualmente do oceano por depósitos quaternários.

São cortados transversalmente por rios que correm em cursos paralelos, separados por interflúvios tabuliformes (dissecados e aplanados), formando vales e encostas fluviais, várzeas e lagunas. Destacam-se o Prataji e seus afluentes Messias ou Prata (integrante do Sistema Pratagy); Meirim e seu afluente, o Saúde; o Estiva e o Sauaçuí (divisa com Paripueira); além dos riachos: Carrapatinho, do Silva (que já abasteceu Maceió até a década de 50), Reginaldo, Jacarecica, Garça Torta, Doce. Nos baixos cursos dos rios a ação das marés dão origem a manguezais que ocorrem ao longo de todo litoral, principalmente na ilha do Lisboa e na foz dos rios Prataji, Meirim, Estiva e Sauaçuí.

No extremo norte-noroeste do município, cercado pelos Tabuleiros Costeiros, ocorre uma área de rochas cristalina (serra da Saudinha), formada por um esporão granítico, profundamente dissecados em encostas com níveis entre 160 e 300 metros, que corresponde a borda residual da porção meridional do Planalto da Borborema comandada pela referida serra, uma rede hidrográfica divergente drena suas águas diretamente para o Oceano Atlântico.

A Vegetação

Maceió apresenta vegetação herbácea (gramíneas) e arbustiva (poucas árvores e espaçadas). Além destas, Maceió possui também a Mata Atlântica. Essas vegetações estão associadas a um sistema regulado de chuvas.

A vegetação natural encontra-se bastante degradada em algumas áreas isoladas dos tabuleiros costeiros e principalmente nas encostas. Ocorrem remanescentes de floresta ombrófila secundária (mata atlântica) e descaracterizada (macega-capoeira). No baixo curso dos rios ocorrem formações pioneiras aluviais e na sua foz, a influência da maré alta dá origem a formações fluviomarinhas (mangues).

A cidade possui um parque municipal de 80 hectares, localizado entre os bairros de Bebedouro e Tabuleiro do Martins. Na área encontram-se plantas típicas da Mata Atlântica e nascentes de várias correntes de água. É aberto à visitação ao público.

Hidrografia

Os cursos d'água, que drenam o município, apresentam-se perenes com direcionamento consequente de extensão aproximada de 12Km. Suas principais cabeceiras localizam-se na serra da Saudinha (rios Meirim, Saúde e Prataji) nos tabuleiros (riachos Reginaldo, Jacarecica, Doce e o rio Sauaçuí), alguns próximos à área urbana do município, nas proximidades dos conjuntos residenciais: Henrique Equelman, Moacir Andrade e do Parque Residencial Benedito Bentes I e II.

As bacias hidrográficas destes rios apresentam na sua maioria um padrão de drenagem dendrítico, tendendo a paralelo em escoamento, exorreico; formando canais distribuídos de 1ª, 2ª, 3ª e 4ª ordens, cada uma recebe dos tributários de ordens inferiores. Quanto à forma de seus vales, no alto curso é marcado por vale em "V" agargantado.

No médio curso assemelha se ao anterior, mas com fundo chato e margens um pouco afastadas e altas dos tabuleiros que os rodeiam. O baixo curso apresenta se na forma de uma baixada larga típica de "rias", com vale em calha, leito raso, entulhado e de foz flutuante pelas vagas que movimentam os bancos arenosos. Os riachos são paralelos, com regime de enxurradas de outono, inverno ou por chuvas ocasionais de primavera e originam se em uma estrutura monoclinal, entalhada, por ocasião dos movimentos eustáticos negativos que os levaram a tangenciar o nível do mar.

Política Municipal - Prefeitos

Maceió - Alagoas - Política-Prefeitos

Relações Internacionais - Consulados: Espanha, França, Itália, Argentina, Estados Unidos, México, Canadá, Austrália.

Subdivisões - Bairros de Maceió: Antares, Barro Duro, Bebedouro, Benedito Bentes, Bom Parto, Canaã, Centro, Chã de Bebedouro, Chã da Jaqueira, Cidade Universitária, Clima Bom, Cruz das Almas, Farol, Feitosa, Fernão Velho, Garça Torta, Gruta de Lourdes, Guaxuma, Ipioca, Jacarecica, Jacintinho, Jaraguá, Jardim Petrópolis, Jatiúca, Levada, Mangabeiras, Mutange, Ouro Preto, Pajuçara, Pescaria, Petrópolis, Pinheiro, Pitanguinha, Poço, Ponta da Terra, Ponta Grossa, Ponta Verde, Pontal da Barra, Prado, Riacho Doce, Rio Novo, Santa Amélia, Santa Lúcia, Santo Amaro, Santos Dumont, São Jorge, Serraria, Tabuleiro do Martins, Trapiche da Barra, Vergel do Lago.

Economia

O município é rico em sal-gema e tem um setor industrial diversificado (indústrias químicas, açucareiras e de álcool, de cimento e alimentícias), além da agricultura, pecuária e extração de gás natural e petróleo.

Municípios próximos a Maceió, como Marechal Deodoro, Pilar e São Miguel dos Campos também têm economias parecidas, mais na parte de mineração - Gás Natural e petróleo. Alagoas é um dos maiores produtores de gás natural do Brasil.

Em 2004, o PIB da capital girava em torno de 6,7 bilhões de reais, à época o quinto maior entre as capitais da Região Nordeste, número significativo que mereceu destaque por ter vindo antes do "boom" do comércio e turismo em Maceió, que ocorreu com a abertura de diversos hipermercados, hotéis, de um centro de convenções e do novo Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares. A expectativa é de que os próximos números sejam ainda mais animadores. Em 2010, o índice de potencial de consumo da capital alagoana (0,52977) apresenta a quarta posição entre as cidades nordestinas e a vigésima posição entre todos os municípios brasileiros (fonte: Target consultoria).

Educação - Alagoas - Ensino Superior

Públicas

Estaduais

Uneal - Universidade Estadual de Alagoas
Uncisal - Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas

Federais

Ifal - Instituto Federal de Alagoas
Ufal - Universidade Federal de Alagoas

Privadas

Centro de Estudos Superiores de Maceió
Faculdade Integrada Tiradentes

Transportes

Aeroviário - Em setembro de 2005, Maceió passou a contar com um dos mais modernos aeroportos do país, o Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares, que conta com sistema de co-geração de energia e capacidade para 1,2 milhão de pessoas. O aeroporto foi construído com recursos da Infraero, Governo Federal e Governo Estadual. Os destinos diários diretos (sem escala/conexão) saindo da capital alagoana são: Belo Horizonte (CNF), Fernando de Noronha (FEN), Recife (REC), Salvador (SSA), Aracaju (AJU), Vitória (VIX), São Paulo (GRU), Brasília (BSB), Rio de Janeiro (GIG), Campinas (VCP) e Paulo Afonso (PVA).

Além disso, o aeroporto está plenamente habilitado para operar vôos internacionais, o que acontece com maior frequência na temporada de verão. Em 2009, apresentou movimento de mais de 1 milhão passageiros, dos quais mais de 22.000 provenientes de vôos internacionais vindo da Itália, Argentina, Chile, Alemanha, Portugal, Estados Unidos, Inglaterra, França, Espanha entre outros países.

Rodoviária - O município também conta com uma rodoviária de onde diariamente partem e chegam ônibus oriundos da região metropolitana, interior do estado ou do resto do país. O terminal rodoviário João Paulo II fica situado no bairro do Feitosa e é relativamente bem localizado: Próximo do centro da cidade, orla maritima, orla lagunar, acesso pela AL-101 (Norte e Sul) e próximo das duas BRs que cortam a cidade.

Transporte Coletivo - Maceió conta com cerca de 730 ônibus (2009) e hoje já existem alguns carros dotados de ar-condicionado, carros articulados e carros com circuladores de ar. Apesar disso, grande parte dos usuários queixa-se da falta de melhores condições dos ônibus em circulação na capital. As empresas de ônibus permissionárias em Maceió são: Real Alagoas, Piedade, Cidade de Maceió, Massayó, São Francisco, Veleiro e Tropical.

Existe um sistema semi-integrado de transporte, constituído por três Terminais de Integração: um localizado no bairro Benedito Bentes, o outro no Conjunto Residencial Colina dos Eucaliptos no bairro do Tabuleiro do Martins e o último no bairro da Rotary. Na prática, a maioria das pessoas que moram longe do trabalho acaba por pagar duas ou mais passagens.

Ferroviário

A linha é antiga, assim como os vagões. A passagem, comparada com a de ônibus, é barata e liga o centro de Maceió até Rio Largo, passando pelos bairros históricos de Bebedouro e de Fernão Velho, bem como pelo município de Satuba. Diariamente, o sistema de trens metropolitanos da capital alagoana transporta cerca de 11 mil passageiros (fonte: CBTU). Há, atualmente, um projeto do governo federal para transformar o sistema de trens da Região Metropolitana de Maceió em veículos leves sobre trilhos - VLT (ou metrô leve). Maceió será a primeira capital do país a receber esse novo transporte.

O transporte ferroviário de cargas entre Maceió e municípios do interior de Alagoas, interrompido há alguns anos em decorrência de fortes chuvas, está previsto para ser reativado nos próximos meses, com a conclusão da reforma do sistema, ora em curso. Dessa forma, o estado volta a interligar-se, por via férrea, a outros estados nordestinos.

Hidroviário

O Porto de Jaraguá, ou Porto de Maceió, está localizado no bairro de Jaraguá, entre as praias de Pajuçara e Avenida. É administrado pela Companhia Docas do Rio Grande do Norte - CODERN por meio da Administração do Porto de Maceió (ADPM) e tem o maior terminal açucareiro do mundo, além de ser um dos mais movimentados do Nordeste. O porto conta com um arado capaz de operar navios das frotas mais modernas do mundo, do tipo pós-panamax, com cerca de 200 metros de comprimento. Em 2006, o movimento acumulado foi de mais de 3,6 milhões de toneladas.

Rodovias

A Região Metropolitana de Maceió é cortada por algumas das principais rodovias federais, como as BR-101, BR-316 e BR-104, além de ser ponto de convergência de rodovias estaduais, destaque para a AL-101 Sul (em duplicação até o município de Barra de São Miguel) e AL-101 Norte. São poucas as rodovias estaduais bem-sinalizadas; as mais bem conservadas e sinalizadas estão no litoral.

Demografia

Maceió possui uma população de 936.314 habitantes, segundo a estimativa realizada pelo IBGE em 2009, o que resulta numa densidade demográfica de 1.832,31 habitantes/km². 99,7% da população situa-se na chamada zona urbana do município e apenas 0,3% na área rural. Em julho de 2009, possuía 507.598 eleitores.
Ano  Habitantes  Crescimento comparado com o ano anterior
1872 -   27.703
1890 -  31.498  -3.795
1900 -  36.427  - 4.929
1920 -  74.166  - 37.739
1940 -  90.253  - 16.087
1950 - 120.980 - 30.727
1960 - 168.055 - 47.075
1970 - 263.670 - 95.615
1980 - 399.298 - 135.628
1991 - 628.209 - 228.911
1996 - 723.142 - 94.933
2000 - 796.842 - 73.700
2007 - 874.014 - 77.172
2008 - 924.143 - 50.129
2009 - 936.314 - 12.171
2010 - 936.608 - 294

Desde a década de 1960, Maceió vem crescendo em um ritmo acelerado: na época contava com cerca de 184.644 habitantes; 24 anos depois, em 1984, o município já tinha cerca de 399.298 habitantes; em 2000, o censo demográfico do IBGE registrou cerca de 796.842 pessoas; hoje são aproximadamente 936 mil habitantes, divididos em 511 km². O município tem uma densidade demográfica de 1.832,31 hab./km².

Cultura

Maceió tem uma cultura marcante, representada principalmente pelo seu rico folclore, além, claro, de seus artistas, escritores e músicos tal qual Djavan, Hermeto Pascoal, Graciliano Ramos, Jorge de Lima. Dentre as manifestações folclóricas há os folguedos, tais como: Caboclinho, Carvalhada, Chegança, Coco Alagoano, Festa de Reis, Guerreiro, Pastoril, Reisado, Quilombo, Zabumba, e, também, o artesanato representado pelo filé e pela cerâmica que encanta a todos por sua criatividade, originalidade e beleza.

A cidade conta com vários locais de comercialização de sua cultura e artesanato,Maceió em 2002 foi escolhida como a capital da cultura,como a Feirinha da Pajuçara, Feirinha do Mercado, este que após um incêndio em dezembro de 2005, foi transferido da Jatiúca para a Ponta Verde e agora está localizado em Jaraguá, com o nome de Artesanato dos Guerreiros ao lado do Memorial da República.

Teatros

Tendo sua construção iniciada em 1905 e terminada em 1910, o Teatro Deodoro conta com um belo aspecto arquitetônico, possui estilo neoclássico com reflexos do barroco, em cada um dos lados da fachada principal do teatro, encontram-se as seguintes frases em latim:

Teatros da Cidade

Localizado no interior do Centro Cultural e de Exposições de Maceió, o Teatro Gustavo Leite é o maior de Maceió e possui capacidade para 1.251 pessoas sentadas.

Teatro Deodoro - Praça Deodoro - Maceió - Alagoas

Teatro Multiplex Gustavo Leite - Jaraguá
Teatro de Arena - Centro
Teatro do SESC (Jofre Soares) - Centro
Teatro de Bolso Lima Filho - Centro
Teatro do Colégio Marista - Farol
Teatro do ifal-campus maceió - Poço
Teatro Deodoro - Centro
Teatro SESI - Pajuçara
Teatro Linda Mascarenhas - Farol

Esportes

O Estádio Rei Pelé conhecido como Trapichão, abriga 20 mil torcedores. Infraestrutura completa para futebol, atletismo e transmissão de jogos por rádio e TV. Atualmente, Maceió tem dois grandes times de futebol:

o Centro Sportivo Alagoano ou CSA é o recordista de títulos do Campeonato Alagoano de Futebol profissional, com 37 títulos.Sua sede está localizada no bairro do Mutange. o Clube de Regatas Brasil ou CRB que representará o estado de Alagoas na Série C 2011. Sua sede está localizada no bairro da Pajuçara.

Cinemas da Capital

Alagoas investe muito em suas produções cinematográficas, e é em Maceió que acontece as Grandes Estreias de Filmes e Documentários que marcam a históriqa do estado.

Centerplex Pátio Maceió - Salas Digitais e 2 salas com a tecnologia 3D Dolby Digital.
Cinemas Lumière (Shopping Farol) - Salas Digitais
Kinoplex Maceió (Maceió Shopping) - Projeção Digital 3D
Cine SESI Pajuçara - Sala Multiplex

Shoppings Center da Capital

Maceió Shopping - Mangabeiras
Shopping Pátio Maceió - Tabuleiro dos Martins
Shopping Farol - AV. Fernandes Lima
Blue Shopping - Jatiúca
Shopping Cidade - Farol
Pajuçara Shoppng - Pajuçara
Galeria Maceió Fashion Center

Meio ambiente

Maceió é uma cidade relativamente arborizada, possuindo áreas com muitas e com poucas árvores. As áreas mais arborizadas da capital são:

Orlas de Jatiúca, Ponta Verde e Pajuçara

Durante todo esse espaço há muitos coqueiros, principalmente na Ponta Verde, onde há um canteiro central com cerca de 1km de extenção e centenas de coqueiros, e na Pajuçara, onde com a reurbanização da orla, foram plantas mais arvores, como o Oiti e coqueiros.

Ao redor das avenidas mais movimentadas da cidade

Para pelo menos diminuir a intensa poluição causada pelos automóveis, a prefeitura plantou mais árvores como ipê rosa, ipê amarelo, espirradeira, buganvila e outras espécies. Pode-se observar isso nas principais avenidas com canteiros centrais, a exemplo da Avenida Fernandes Lima / Durval de Góes Monteiro, que corta praticamente toda a cidade, Avenida Álvaro Calheiros, Avenida Doutor Antônio Gomes de Barros, Avenida Sandoval Arroxelas, Avenida Senador Rui Palmeira.

Nas principais praças da cidade

Na maioria das praças da capital há várias árvores, como a Praça Centenário, Praça Dom Pedro, Praça Sinimbu, Praça dos Martírios, Praça Gogó da Ema, Corredor Vera Arruda e muitas outras.

Há também o Parque Muncipal de Maceió, uma reserva florestal entre os bairros do Bebedouro, Tabuleiro dos Martins e Petrópolis com cerca de 82 hectares de área dentro da cidade. Lá várias espécies de árvores e animais da mata atlântica podem ser encontrados. Existem vários outros parques florestais espalhados por toda a cidade, como o Cinturão Verde no Pontal da Barra e a Reserva florestal do IBAMA no bairro da Gruta de Lourdes.

(Portal da Prefeitura de Maceió
Historicidade Cidade de Maceió)

Para receber atualizações das matérias:
Digite seu e-mail:


FeedBurner-Google
Você receberá um e-mail de confirmação, é só seguir o link e confirmar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Analytics