CANÍDEOS - Lobo - Raposa - Cão - Lobo Guará

Os canídeos surgiram no Eocénico superior na América do Norte, a partir do extinto grupo Miacidae, e espalharam-se pela Ásia e Europa, e daí para África, através do Estreito de Bering no Miocénico superior.

Os canídeos (do latim: Canidae) constituem uma família de mamíferos digitígrados, da ordem dos carnívoros, que inclui o cachorro, o lobo, o chacal, o coiote e a raposa entre outros.

Os canídeos têm uma cauda longa e dentes molares adaptados para esmagar ossos. Têm quatro ou cinco dedos nas patas dianteiras, quatro nas patas traseiras, e garras não retrácteis adaptadas para tracção em corrida. O tamanho é variável, bem como os hábitos sociais que podem ser gregários, como o lobo que vive em alcateias, ou solitários como os coiotes.

O grupo tem distribuição por todo o globo excepto na Antártida e ilhas oceênicas. Os canídeos que vivem nas ilhas do Oceano Pacífico foram introduzidos pelo Homem durante a colonização dos vários arquipélagos.

De costumes terrestres, são excelentes caçadores, dotados de extraordinário fôlego nas corridas longas, além de faro excepcional. Prolíficos, a fêmea pode ter, depois de uma gestação de 50 a 70 dias, de 2 a 13 filhotes, cujo período de amamentação dura de 6 a 10 semanas. Aos dois anos, em geral, os canídeos atingem a maturidade sexual que, às vezes, pode durar até 18 anos. A família é dividida em quatorze gêneros e quarenta espécies, algumas de valor econômico para o homem (como as raposas, cuja pele é bastante procurada).

Lobo

O lobo é representante típico do gênero Canis, ao qual também pertencem o cão doméstico, o dingo, o coiote, o chacal, etc. São eles, entre os canídeos, que mostram maior tendência gregária, manifestada principalmente na formação de grupos que desenvolvem ações coordenadas, especialmente na caça. Maior representante do gênero, o lobo pode viver em florestas, estepes e regiões cultivadas, seja nas planícies ou nas zonas montanhosas. Como sua alimentação varia conforme a região e a estação do ano, cada um pode se nutrir de grandes caças, pequenos mamíferos, e até mesmo insetos, bulbos e tubérculos.

Costumam reunir-se em alcatéias que marcham mais de 40 quilômetros por dia, mas na época da fecundação os grupos tendem a dissolver-se, restando apenas casais ou indivíduos isolados. O lobo é certamente o ancestral do cão doméstico (Canis familiaris), cuja convivência com o homem remonta a tempos longínquos. Segundo pinturas pré-históricas encontradas em cavernas da Espanha, milênios antes de Cristo eles já eram empregados como animais de caça.

Dingo

De grande ferocidade, o dingo - canídeo típico da Austrália - se assemelha a um grande cão vira-latas de pêlo avermelhado, vivendo em grupos que caçam cangurus e carneiros, razão por que é perseguido pelo homem. Sua ferocidade é apontada como responsável pelo extermínio do lobo marsupial que existia na Austrália. Outros canídeos do gênero Canis são o chacal e o coiote. O primeiro, menor que o lobo, possui quatro espécies. Nutre-se de pequenos mamíferos e aves, mas em períodos de grande necessidade pode comer frutas, vegetais e insetos. Caça isolado ou em duplas, mas quase nunca percorre grandes distâncias.

Na Europa e parte da Ásia, o representante mais importante do grupo é o chacal dourado (Canis aureus), de costumes noturnos, muito ágil e bom corredor. Costuma atacar habitações humanas, matando animais domésticos e invadindo despensas. Já o coiote pertence à fauna americana, espalhando-se desde o Alasca até a Costa Rica. Tem aspecto intermediário entre o lobo e a raposa, chegando a medir 50 centímetros de altura. É excelente corredor e chega a fazer 64km por hora. Antigamente, a espécie era bastante numerosa e caçava durante o dia, mas hoje os grupos são reduzidos e caçam apenas à noite.

Cão doméstico

O cão doméstico é inteligente, sociável, e tem tamanho que varia entre 18cm até 1 metro. Excelente nadador e corredor, ele possui maneira característica de andar: o corpo permanece sempre oblíquo em relação à direção da marcha. Como não tem, na pele, glândulas sudoríparas em quantidade suficiente, a maior parte da sua transpiração é feita por uma glândula sublingual, o que o obriga a permanecer com a boca aberta quando sente muito calor. Donos de instinto sexual desenvolvido, notadamente durante o cio, os da espécie estão sujeitos, no entanto, a inúmeras doenças, sendo a raiva a mais perigosa delas. Causada por um vírus, manifesta-se após uma incubação de quarenta dias, aproximadamente, e é transmitida pela saliva do animal infectado.

Lobo - Canídeo

Os cães podem ser divididos em cães de caça, de guarda, de guia e de companhia. Entre os primeiros, há os que apontam (pointer, setter), os que cercam e levam a caça até o caçador (cooker spaniel), os que a seguem (onceiro) e os que, pela velocidade, a alcançam (galgo). Entre os de guarda, há os de defesa (boxer, dobermann) e de pastoreio (pastor alemão, fila brasileiro). Os cães de guia, por sua vez, são treina-, dos para serviços especiais, em particular para auxiliar cegos. Já os cães de companhia raramente exercem outra função (chihuaha, pequinês).

A raposa

Economicamente valiosa, devido à imensa procura de sua pele, a raposa é também um dos canídeos mais odiados pelo homem. Seus ataques noturnos às fazendas causam preocupações e grandes prejuízos. A raposa polar (Alopex lagopus) é um dos poucos representantes de mamíferos que vivem nas latitudes extremas, Animal pequeno, mede cerca de 60cm e não chega a pesar mais de 9 quilos. Seu pêlo, muito espesso, possui duas fases de coloração: uma branca, durante o inverno, permitindo-lhe confundir-se com o ambiente, e outra cinzento-azulada.

As raposas comuns, encontradas na Europa, Ásia e América do Norte, pertencem ao gênero Valpex. De dimensões médias, possuem corpo alongado, pernas curtas e esguias, focinho longo e afilado e orelhas altas e triangulares. Elas podem viver tanto nas montanhas quanto nas planícies, mas preferem locais selvagens, onde não se faça sentir a presença humana, e ali se alimentam de pequenos mamíferos, frutas e ovos que obtêm durante a noite.

Feneco

Outro canídeo que costuma caçar à noite é o feneco, que vive nas regiões áridas e desertas entre o Sinai e a Arábia. Ágil e gracioso, possui pêlo avermelhado variando para o branco, e se alimenta de insetos, répteis, pássaros e ovos. Para procurar as presas, conta com o auxílio das enormes orelhas capazes de captar qualquer ruído. Mede apenas 20cm de altura e 40cm de comprimento, dos quais metade é representada pela cauda.

Cachorro do mato

O cachorro-do-mato, também encontrado no Brasil, é de cor pardo-cinzenta, mais escura ou mesmo negra no dorso, cauda, focinho e garganta. O janaú, conhecido também como cachorro-vinagre, é bastante raro. De cauda curta e grossa, vive em tocas no solo e alimenta-se de frutas e pequenos animais, sobretudo roedores.

Lobo Guará

No Brasil, o canídeo mais curioso é o guará, ou lobo-guará, de pêlo semelhante ao da raposa e de hábitos noturnos. É também chamado de lobo-de-crina e vive nos campos abertos, em locais onde abunda a chamada fruta-de-lobo, ou lobeira, seu alimento preferido, embora aves, répteis e pequenos roedores sejam incluídos habitualmente em suas refeições. O seu uivo amedronta a quem não o conhece, mas é inofensivo ao homem, exceto pelos prejuízos que causa com suas freqüentes incursões aos galinheiros.

Fonte:
Abril Enciclopedia/animais

Para receber atualizações das matérias:
Digite seu e-mail:


FeedBurner
Você receberá um e-mail de confirmação, é só seguir o link e confirmar.

0 Comentários : sobre CANÍDEOS - Lobo - Raposa - Cão - Lobo Guará

(Se estiver usando o Chrome, acione aqui e vá ao topo da página)

Loading...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

© 2011 Portal Escola | Todos os direitos reservados - Designed by BTN