02/08/11

BIOLOGIA - ANIMAIS - FEITICEIRA MARINHA

Feiticeiras são animais de corpo alongado, liso, sem escamas e geralmente com 1m de comprimento, vivem principalmente nos oceanos e são exclusivamente marinhos. Tem como fonte de alimento os pequenos crustáceos e peixes moribundos. Junto à boca existem tentáculos e dentes córneos, que são usados para arrancar pedaços do corpo da presa. As feiticeiras são hermafroditas mas apenas um órgão é funcional e o processo de fecundação ainda é desconhecido. Possuem desenvolvimento direto, ou seja, não passam por estágio larval. Vivem em grandes profundidades (bentônicos, demersais), se limitam a regiões onde encontram quantidade de sedimentos rochosos, vivem em tocas semi enterrados a profundidades maiores de 500 metros.

Feiticeira marinha

Tegumento - formado por uma camada pluriestratificada de epiderme com grande quantidade de glândulas serosas e mucosas que produzem um muco protetor formando uma bolsa protetora. A derme é formada por tecido colágeno. Quando atacados, o predador morde o muco resultando em sua morte, pois o muco chega a cobrir as brânquias asfixiando o animal.

Esqueleto - sem escamas com notocorda e primeiras estruturas cartilaginosas (língua).

Musculatura - igual a das lampréias.
Estratégias alimentares - boca rodeada por tentáculos que prendem o alimento envolvido por muco (auxiliado por tentáculos cartilaginosos). Ingerem alimentos moles, as feiticeiras são oportunistas entrando por brânquias ou ânus de peixes debilitados (já no fundo) alimentando-se das vísceras por sucção.

Sistema digestório - possuem dentes internos, tubo digestivo linear reto sem formação de bolsa (espécie de estômago), não apresenta pâncreas nem estômago.

Circulação - coração ventral com engrossamento da parede (músculo liso com miocárdio) dando maior vazão para a região anterior, voltando para uma região mais ventral; a circulação é fechada. Tem-se a formação de aorta que se abre em oito arcos aórticos, veias em padrão único de vertebrados. Regiões que são pseudo-coração (+/_7) série de espessamento na região caudal. Sistema fechado.
Sistema nervoso e sensorial - apresentam pequenos olhos cobertos por epiderme bastante rudimentares com o cristalino fixo e sem movimento do diafragma da pupila, não conseguindo aumentar nem diminuir a intensidade de luz que entra no olho, sendo a estrutura movimentada por músculos extrínsecos que modificam a curvatura do olho. Possuem uma narina aberta para a faringe para informação olfativa da água , como para a entrada da mesma para as brânquias.

Reprodução - muito pouco se sabe, são animais dióicos com gônadas muito simples, esta gônada é diferenciada nas espécies vivíparas onde guarda os ovos dentro desta gônada ou dentro da cavidade celomática do corpo (tem que possuir alguma forma de fecundação interna), alguns machos podem apresentar forma peniana, porém é incomum. Nas espécies ovíparas machos e fêmeas liberam seus gametas, ovos dão origem a pequenos jovens (sem formas larvais).

Trocas gasosas - com faringe perfurada e formação de brânquias dentro das bolsas (perfurações), número de brânquias igual ao número de perfurações da fenda branquial, cerca de 5 a 15 fendas, a água entra pela narina e pela boca.


Para receber atualizações das matérias:
Digite seu e-mail:


FeedBurner
Você receberá um e-mail de confirmação, é só seguir o link e confirmar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Analytics