08/06/11

KGB - KOMITET GOSUDARSTVENO BEZOPASNOSTI - COMITÊ DE SEGURANÇA DO ESTADO (RÚSSIA)

.
Em português - Comitê de Segurança do Estado - o KGB - Komitet gosudarstveno bezopasnosti (Russo-Urss), era o nome da principal agência de informação e segurança (serviços secretos) da antiga União Soviética, que desempenhava em simultâneo as funções de polícia secreta do governo soviético, entre 13 de Março de 1954 e 6 de Novembro de 1991. O domínio de atuação do KGB, durante a Guerra Fria, pode ser comparado, nos Estados Unidos, à combinação dos serviços secretos da CIA e da segurança interna do FBI. Depois da implosão da URSS, o maior sucessor do KGB é o Serviço Federal de Segurança da Federação Russa (FSB). Também o nome oficial do serviço de inteligência da Bielorrússia, a Agência de Segurança do Estado, permanece como KGB.

Desde o início, a URSS teve uma polícia política muito poderosa, que esteve sempre presente em todas as etapas da sua evolução social, fosse qual fosse o regime instituído. A KGB surgiu após a Segunda Guerra Mundial, no período da guerra fria, apesar de suas origens internas remontarem a 1917, quando Félix Djerjinsky fundou o grupo paramilitar cognominado Tcheka.

KOMITET GOSUDARSTVENO BEZOPASNOSTI - KGB

Era uma polícia secreta e política que não tinha equivalente no mundo, porque se situava em um nível completamente diferente dos outros serviços especiais, constituía igualmente um ministério. Dispunha de trezentos mil soldados da Guarda de Fronteiras, equipados com blindados, caças e barcos sendo uma força independente do exército, força aérea e marinha. A organização compreendia 5 direções-gerais.

A primeira direção, a mais importante, incluía a subdirecção dos ilegais (agentes que viviam no estrangeiro sob uma falsa identidade), a subdirecção cientifica e técnica, um serviço de contra-espionagem, serviço de acção e um serviço dos negócios sujos (assassinatos, atentados, sequestros, bombas). A segunda e terceira direcções-gerais estão encarregadas da informação, vigilância e da repressão interna, a quarta são os guardas da fronteira e a quinta, das escolas, que são muitas e variadas.

As diretorias da KGB

O KGB foi organizado em várias “diretorias”, entre as quais se destacam:

=> A Primeira diretoria principal (operações estrangeiras) - responsáveis por operações estrangeiras e contra-inteligência. Esta direção teve muitas subdireções.
=> A Segunda diretoria principal - responsável pelo controle político interno dos cidadãos e dos estrangeiros na União Soviética.
=> A Terceira diretoria principal (forças armadas) - contra-informação militar e a fiscalização política das forças armadas soviéticas.
=> A Quarta diretoria (Segurança do Transporte)
=> A Quinta diretoria principal - também responsável pela segurança interna; originalmente combatia dissidência política; dentre suas tarefas mais tardias encontra-se o controle da dissidência religiosa, monitorando artistas, e a censura dos meios de comunicação; foi rebatizado como a Direção Z (para proteger a ordem constitucional) em 1989.
=> A Sexta diretoria (contra-informação econômica e segurança industrial)
=> A Sétima diretoria (fiscalização) - fiscalização, fornecendo o equipamento para seguir e monitorar atividades de estrangeiros e de cidadãos da União Soviética.
=> A Oitava diretoria principal - responsável pela comunicação, monitorando comunicações estrangeiras, e os sistemas criptográficos usados por divisões do KGB, e pelo desenvolvimento da tecnologia das comunicações.
=> A Nona diretoria (protetores) (mais tarde o serviço de proteção) - 40.000 agentes do KGB fazem parte dessa direção que proporciona serviços de escolta aos líderes principais de PCUS (e às suas famílias) e às também a escolta do governo soviético (que incluem armas nucleares). Operou o sistema VIP do metro de Moscovo, e o sistema de telefone seguro dos oficiais do PCUS; transformou-se no serviço protetor federal (FPS) sob o controle de Boris Yeltsin.
=> A Décima quinta direção (segurança das instalações do governo)
=> A Décima sexta direção (intercepção das comunicações e SIGINT) - opera os sistemas de telefone e de telégrafo do governo da União Soviética, assim assegurando a intercepção bem sucedida de todas as comunicações de interesse à KGB.
=> A Décima setima direção (espionagem militar) - espiões de guerra infiltrados na força militar estrangeira, aparentemente desativada após ter seu líder Boris Kruschaer Mignot deportado para o Brasil.
=> A Direção das guardas das fronteiriças - 245.000 agentes fazem parte das forças de segurança das fronteiras da União Soviética com forças terrestres, navais, e da força aérea.
=> As operações e a direção de tecnologia - abrangem todos os laboratórios e centros de investigação científica para espionagem, além dos dispositivos de tiro (que incluem o laboratório de veneno dos serviços secretos soviéticos que desenvolveu venenos e substâncias que provocavam distúrbios psicológicos).

As outras seções do KGB

O KGB também possuía seções independentes:

=> Departamento pessoais do KGB
=> Secretariado do KGB
=> Equipe de funcionários de suporte laboratorial do KGB
=> Departamento de finanças do KGB
=> Arquivos do KGB
=> Departamento da administração do KGB
=> Comitê do PCUS
=> KGB OSNAZ, (destacamentos de Spetsnaz ou das operações especiais) como:
=> O grupo alfa
=> Lubyanka
=> O Vympel, e etc.; as missões e estrutura do comando-controle permanecem desconhecidas.
=> Força protetora de Kremlin - A Força Protetora de Kremlin era a escolta do Presidium, e outros; transformou-se mais tarde no serviço protetor federal (FPS).


* No Brasil, é comum a sigla ser antecedida pelo artigo "A" (a KGB).

(Cambridge KGB Spies)



.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Analytics